A Embalagens Viva produz sacolas plásticas de polietileno em Baixa ou Alta Densidade que podem ser tradicionais ou:

Plástico oxi-biodegradável é um tipo de material plástico em Polietileno, derivado do petróleo que contém um aditivo que faz sua degradação ocorrer aproximadamente em 18 meses. O processo de oxibiodegração se subdivide em dois estágios:

1ª etapa: o plástico fica passível de se fragmentar (degradar) através da reação com o oxigênio. O catalisador acelera a oxidação do polímero, causando sua “quebra” em moléculas menores que, diferentemente do polímero base, podem ser umedecidas por água.

2ª etapa: as moléculas oxidadas são biodegradadas por micro-organismos existentes na natureza e então convertidas em dióxido de carbono, água e biomassa (fonte de energia).

Plástico Verde: I’m Green é um plástico produzido a partir do etanol de cana-de-açúcar, uma matéria prima renovável, ao passo que os polietilenos tradicionais utilizam matérias primas de fonte fóssil, como petróleo ou gás natural. Por esta razão, o polietileno verde I’m Green captura e fixa gás carbônico da atmosfera durante a sua produção, colaborando para a redução da emissão dos gases causadores do efeito estufa.
O polietileno verde I’m Green mantém as mesmas propriedades, desempenho e versatilidade de aplicações dos polietilenos de origem fóssil, também é reciclável dentro da mesma cadeia de reciclagem do polietileno tradicional.

Plástico Biodegradável: São resinas biodegradáveis, cujos componentes são derivados de matérias-primas de fontes renováveis. Em geral, os plásticos biodegradáveis são derivados de produtos vegetais e animais, tais como a celulose, amido, chitina, etc., que ocorrem em grande abundância na natureza. O uso em escala destes substituem as resinas de fontes não renováveis, como os de petróleo.

Os plásticos biodegradáveis decompõem-se em seus componentes mais simples pela atividade dos micro-organismos ao entrar em contato com o solo, com a umidade, com o ar e com a luz solar, ao contrário do que ocorre com as resinas petroquímicas, que permanecem por muito tempo sem sofrer alterações.

Para que um plástico seja considerado biodegradável, ele precisa se degradar dentro de um período de tempo que não pode exceder a 180 dias, de acordo com as normas internacionais.

Os plásticos biodegradáveis, por sua vez, de acordo com as recomendações da Avaliação do Desempenho de Embalagens Plásticas Ambientalmente Degradáveis e de Utensílios Plásticos Descartáveis para Alimentos, não podem simplesmente ser descartados na natureza ou em aterros, pois não há ambiente propício para sua degradação nesses locais. O melhor destino para os plásticos biodegradáveis é a compostagem.